Sentimentos · Texto

Hoje em dia

O tempo passa, as pessoas amadurecem, os gostos mudam, aprendemos coisas novas e assim por diante.

A ideia de ter um blog para mim a 4 anos atrás era para mostrar dicas e coisas que eu tinha aprendido nos milhões de blogs de futilidade que eu acompanhava. Não que esses blogs não sejam bons e que eles mostrem coisas negativas, nada disso. Mas eu vejo que para mim hoje em dia isso é apenas futilidade. A Paola de 4 anos atrás não ia a varanda de sua casa sem pelo menos um corretivo. Patético, eu sei. Mas era a minha personalidade naquela época. Era o que eu gostava o que eu achava relevante. A Paola de hoje em dia não se importa de ir para o centro sem maquiagem alguma e com o cabelo todo bagunçado num coque. A Paola de 4 anos atrás nunca assistiria uma corrida de fórmula 1, mas a Paola de hoje em dia sabe o nome de todos os pilotos e é uma amante da velocidade.

Pois é, os tempos são outros, as prioridades e os sentimentos também. Eu fiquei muito tempo sem escrever nada para esse site. Mas não era porque eu não queria… okay, em partes sim. Mas, eu não sabia o que escrever, eu não sabia sobre o que as pessoas gostariam de ler. Afinal, eu fazia tudo para agradar os outros, não a mim mesma. Se eles achassem que estava bom, então estava maravilhoso. Eu tinha uma necessidade enorme de agradar ao próximo antes de a mim mesmo.

Com o tempo eu fui percebendo que não era bem assim. As pessoas têm gostos diferentes, ninguém é igual. Como eu iria agradar todo mundo? Hoje em dia eu prezo agradar primeiro a mim e depois os outros. Se eu gostar de algo que a maioria das pessoas não gosta, bom, paciência porque eu nunca mais vou mudar meus gostos, sentimentos ou opiniões para agradar ninguém.

É muito louco escrever um texto expressando meus sentimentos em um blog que antigamente eu priorizava apenas o conteúdo “fútil”. Hoje em dia eu não conseguiria mais achar graça ou prazer em escrever um post falando sobre maquiagem ou moda. Sinceramente, isso é algo que não me atraí mais. Não é algo que eu me sinta bem em fazer.

Bom, a um tempinho eu já havia descoberto que não era aquilo que me interessava mais. Porém eu ainda estava presa naquela neura de querer agradar os outros. Eu não iria vir aqui escrever sobre minha opinião, gosto ou sentimento porque eu teria vergonha de me expressar dessa maneira. O que meus coleguinhas de escola iriam pensar de mim? Os meus amigos iriam me zoar? Pensando bem isso é só uma questão de gosto e do fundo do meu coração; eu não “tô” nem aí.

Talvez esse post seja um recomeço para mim. Talvez eu termine de escrevê-lo e logo em seguida desista de tudo e volte a minha vidinha normal. Talvez amanhã eu decida que quero falar sobre unhas. Eu não sei, eu só sei que eu vou fazer o que me der na telha.